Manuel de Sá Couto, o “Lagoncinha” (1768-1837), expoente da organaria histórica portuguesa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34629/rcdmt.vol.1.n.1.pp87-102

Palavras-chave:

Manuel de Sá Couto, Lagoncinha, Órgão português, Organaria histórica, Norte de Portugal

Resumo

O órgão histórico de tipo português foi definido na viragem do século XVIII para o XIX através da atividade exercida na região de Lisboa pelos mestres organeiros António Xavier Machado e Cerveira (1756-1828) e Joaquim António Peres Fontanes (1750-1818). No norte do país, este modelo orgânico foi ampla e contemporaneamente implementado pelo mestre organeiro Manuel de Sá Couto (1768-1737), formado na escola organeira emanada da oficina vimaranense do mestre galego Francisco Antonio de Solla Filgueira (1731-1794). Pese embora o “Lagoncinha” – alcunha pela qual Sá Couto também ficou conhecido – tenha realizado uma síntese pessoal entre tradição ibérica e portuguesa, manifesta na elevada qualidade técnica e artística das várias dezenas de órgãos que construiu ainda preservados, a sua relevância no contexto da organaria portuguesa oitocentista ainda não foi devidamente legitimada pela historiografia do órgão em Portugal. É precisamente este reconhecimento que o presente artigo vem reivindicar.

Biografia Autor

Marco Brescia, CESEM / Universidade NOVA de Lisboa

É investigador integrado ao Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical da Universidade NOVA de Lisboa. Em 2013, concluiu o seu doutoramento em Musicologia Histórica em regime de cotutela internacional de tese entre as Universidades Paris IV – Sorbonne e NOVA de Lisboa, obtendo a menção máxima, très honorable à l'unanimité. Brescia é também mestre em Interpretação da Música Antiga / Órgão histórico pela Escola Superior de Música de Catalunya / Universitat Autònoma de Barcelona, com obtenção da prestigiante matrícula de honor, mestre em História da Arte pela Universidade Paris IV – Sorbonne e Arquiteto e Urbanista pela Universidade Federal de Minas Gerais. Apresentou os seus trabalhos nas mais prestigiadas conferências internacionais promovidas pelo IMS, SEdeM, SPIM, Biennial International Conference on Baroque Music, etc. Brescia é frequentemente convidado a atuar como pianista, organista, clavicordista ou cravista nos mais prestigiadas salas e festivais internacionais de música de Itália, Espanha, Portugal, França, Inglaterra, Irlanda do Norte, Suíça, Alemanha, Hungria, Eslováquia, Polônia, Brasil, Peru e Panamá.

Referências

Fontes manuscritas

Arquivo Distrital de Braga. Paróquia de Lousado 1675/1911. Batismos 1759/1806. f.42r. Acedido Maio 10, 2022. http://pesquisa.adb.uminho.pt/viewer?id=1019258&FileID=669782.

Arquivo Distrital de Braga. Paróquia de Lousado 1675/1911. Óbitos 1760/1871. ff.159v.–160r. Acedido Maio 10, 2022. http://pesquisa.adb.uminho.pt/viewer?id=1019268&FileID=670063.

Obras

Brescia, Marco. 2020. Órgão José Joaquim da Fonseca (c.1863) e a Organaria Histórica Portuguesa / Organ José Joaquim da Fonseca (c.1863) and the Portuguese Historic Organ-making. Lisboa: Castelpor.

Carvalho, Joaquim Félix de. 2018. Restauro Filológico: Órgão Manuel de Sá Couto. Braga: Seminário Conciliar, Faculdade de Teologia.

Jambou, Louis. 1988. Evolución del Órgano Español: Siglos XVI-XVIII. Oviedo: Servicio de Publicaciones de la Universidad de Oviedo.

Nassarre, Pablo. 1724. Escvela Musica, Segvn la Practica Moderna, 2vv. Saragoça: Herederos de Diego de Larumbe.

Sande Lado, Herminio. 2015. Organeiros de Xeve: Historia Duns Fillos de Xeve. Santo Andrés de Xeve: Herminio Sande Lado.

Vieira, Ernesto. 1900. Diccionario Biographico de Músicos Portuguezes: Historia e Bibliographia da Musica em Portugal, 2vv. Lisboa: Typographia Mattos Moreira & Pinheiro.

Capítulo de livro

Vaz, João. 2013. “Dynamics and Orchestral Effects in Late Eighteenth Century Portuguese Organ Music: The Works of José Marques e Silva (1782-1837) And The Organs of António Xavier Machado e Cerveira (1756-1828).” In Interpreting Historical Keyboard Music: Sources, Contexts and Performance, edição de Andrew Wooley e John Kitchen, 157–172. Farnham: Ashgate Publishing.

Artigos

Jordan, Wesley. 1984 “Dom Francisco António de Solha, Organeiro de Guimarães.” Boletim de Trabalhos Históricos, 35:116–136.

Vaz, João. 2019 “‘Portuguese’ Organ Versus ‘Iberian’ Organ: Organ Building in Portugal After 1700.” Boletim Cultural 2018/2019, 2.a série:59–74.

Dissertações de Doutoramento

Brescia, Marco. 2013. “L’École Echevarría en Galice et Son Rayonnement au Portugal”, 2vv. Dissertação de Doutoramento, Universidade Paris IV – Sorbonne / Universidade NOVA de Lisboa. Acedido Maio 10, 2022. https://run.unl.pt/handle/10362/52148.

Vaz, João. 2009. “A Obra Para Órgão de Fr. José Marques e Silva (1782-1837) e o Fim da Tradição Organística Portuguesa no Antigo Regime”, 2vv. Dissertação de Doutoramento, Universidade de Évora. Acedido Maio 10, 2022. https://dspace.uevora.pt/rdpc/handle/10174/23075.

Relatório técnico

Brescia, Marco. 2018. Relatório da Intervenção de Conservação e Restauro Realizada no Realejo Histórico (c. 1819-1822) do Mosteiro de Santo Tirso. Acedido Maio 10, 2022. https://2fc4f14f-f6e9-437b-b8eb-ae1beb2f259c.filesusr.com/ugd/e92088_0b99425868d747f7a1eeb9c9b4100b5f.pdf.

Downloads

Publicado

2022-07-25

Como Citar

Brescia, M. (2022). Manuel de Sá Couto, o “Lagoncinha” (1768-1837), expoente da organaria histórica portuguesa. RHINOCERVS: Cinema, Dança, Música, Teatro, 1(1), 87–102. https://doi.org/10.34629/rcdmt.vol.1.n.1.pp87-102

Edição

Secção

Artigos