Uma pedrada no charco de uma imprensa pouco independente e plural

o surgimento de quatro jornais privados em 1975

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34629/cpublica.472

Resumo

Recensão de:

Marques Gomes, P. (2021). A Imprensa na Revolução: Os Novos Jornais e as Lutas Políticas de 1975. Imprensa Nacional – Casa da Moeda. 669 pp. ISBN 9789722729161

Biografia Autor

José Santana Pereira, ISCTE/CIES

Doutorado em Ciências Políticas e Sociais pelo Instituto Universitário Europeu em Florença, é professor auxiliar no Iscte e investigador integrado no CIES-Iscte. A sua investigação centra-se nos efeitos dos média na opinião pública, no estudo comparativo dos sistemas de média, no comportamento eleitoral e nas atitudes políticas (nomeadamente as atitudes populistas). Nestes domínios, publicou vários artigos e capítulos de livros em língua portuguesa, inglesa e francesa. É um dos investigadores responsáveis pelos projetos «Media Systems in Europe» e «Mecanismos e Impactos da Abstenção Eleitoral», bem como membro da equipa responsável pelas Sondagens ICS-ISCTE.

Referências

Gross, P. (2002). Entangled evolutions: Media and democratization in Eastern Europe. Woodrow Wilson Center Press.

Gunther, R. & Mughan, A. (Eds.). (2000). Democracy and the media: A comparative perspective. Cambridge University Press.

Hallin, D. C. & Mancini, P. (2004). Comparing media systems: Three models of media and politics. Cambridge University Press.

Randall, V. (Ed.) (1998). Democratization and the media. Taylor & Francis.

Rezola, M. I. (2017). Emissora Nacional (1974-1975): Uma estação do povo, ao serviço do povo. Revista Portuguesa de História da Comunicação, 0, 121-138.

Rezola, M. I. & Gomes, P. M. (2014). A revolução nos media. Tinta-da-China.

Voltmer, K. (Ed.). (2004). Mass media and political communication in new democracies. Routledge.

Downloads

Publicado

2022-06-30

Como Citar

Pereira, J. S. (2022). Uma pedrada no charco de uma imprensa pouco independente e plural : o surgimento de quatro jornais privados em 1975 . Comunicação Pública, 17(32). https://doi.org/10.34629/cpublica.472