A criatividade no ensino superior

um estudo exploratório sobre as licenciaturas em publicidade

Autores

  • Cristina Santos ULHT/CICANT

DOI:

https://doi.org/10.34629/cpublica.358

Palavras-chave:

criatividade, publicidade, ensino superior, licenciatura, contemporaneidade

Resumo

Perante uma sociedade complexa e instável, a habilidade criativa apresenta-se como uma competência imprescindível em pleno século XXI. Porém, diversas pesquisas demonstram que, embora seja reconhecida a importância da criatividade, enquanto propulsora de ideias originais, inclusive na resolução de problemas, esta não é devidamente explorada pelas instituições escolares, nomeadamente no que concerne à oferta formativa nacional que incide sobre a publicidade, tal como verificado na nossa investigação. Apesar de o ensino superior ocupar um lugar central na urgência atual e global de inovação, ao ser um espaço especializado na formação da esfera laboral e de potenciais agentes de mudança, denota-se a ausência de uma aposta consolidada na criatividade, enquanto uma aptidão transversal e necessária para fazer face aos múltiplos desafios da contemporaneidade, particularmente na ocidentalidade.

Biografia Autor

Cristina Santos, ULHT/CICANT

Professora na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias e investigadora no CICANT, trabalhando problemáticas ligadas à publicidade, ao consumo e à comunicação estratégica. Doutorada em sociologia (ISCTE-IUL), na área do consumo, possui várias formações intermédias complementares em temáticas associadas à criatividade e tem publicado artigos (com arbitragem científica) em revistas nacionais e internacionais e apresentado comunicações em congressos nacionais e internacionais.

Referências

Bauman, Z. (2000). Liquid modernity. Polity Press.

Balonas, S.(2019). Que a força esteja contigo – Os desafios da publicidade na nova galáxia comunicacional. Media & Jornalismo, 19(34), 13-34.

Blakeman, R., Haley, E. & Taylor, M. (2020). What novice art directors need to know beyond their portfolio. Journal of Advertising Education, 24(1), 24–35.

Cancino, G. & Picos, A. (2018). La creatividad y sus componentes. Creatividad y Sociedad, 27, 167-183.

Caetano, J., Marques, H. & Silva, C. (2011). Publicidade: Fundamentos e estratégias. Escolar Editora.

Camargo, H. (2013). O filme publicitário como mito atualizado: Fantasia, ritual, tempo e totemismo. Biblioteca on-line de ciências da comunicação. http://www.bocc.ubi.pt/pag/camargo-hertez-2013-filme-publicitario.pdf

Cardoso, P. (2000). Estratégia criativa publicitária: Fundamentos e métodos. Edições Fernando Pessoa.

Carvalho, T. (2019). Desenvolvimento da criatividade: Adaptação do programa Odisseia para alunos brasileiros do ensino fundamental [Tese de Doutoramento não publicada]. Universidade do Minho.

Cavallo, D., Singer, H., Gomes, A. S., Bittencourt, I. I. & Silveira, I. F. (2016). Inovação e criatividade na educação básica: Dos conceitos ao ecossistema. Revista Brasileira de Informática na Educação, 24(2), 143-161.

Champlin, S. (2020). Why I teach advertising: Critical voices. Journal of Advertising Education, 24(1), 81-84.

Cleese, J. (2020). Creativity: A short and cheerful guide. Hutchinson.

Dias, C. (2014). Criatividade no ensino básico: Um olhar sobre as representações de alunos e professores em escolas públicas e privadas [Tese de Mestrado não publicada]. Universidade do Minho.

Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência, Ministério da Educação e Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. (2021). Educação e formação em Portugal. https://www.dgeec.mec.pt/np4/488/%7B$clientServletPath%7D/?newsId=1217&fileName=ApresentacaoPPUE_PT.pdf

Direção-Geral do Ensino Superior. (2016). Uma nova agenda de competências para a Europa: Trabalhar em conjunto para reforçar o capital humano, a empregabilidade e a competitividade. https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52016DC0381&from=PT

Duarte, J., Fernandes, S., Santos, R. C. & Castro, L. C. e (2020). Jovens no pós-secundário 2010 a 2017 – Cursos científico-humanísticos e cursos profissionais. Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência. https://www.dgeec.mec.pt/np4/6/%7B$clientServletPath%7D/?newsId=1137&fileName=DGEEC_Jovens_no_Pos_Secundario__evolu_ao.pdf

Figueiredo, H., Portela, M., Sá, C., Cerejeira, J., Almeida, A. & Lourenço, D. (2017a). Benefícios do ensino superior. Fundação Francisco Manuel dos Santos.

Figueiredo, H., Portela, M., Sá, C., Cerejeira, J., Almeida, A. & Lourenço, D. (2017b). Introdução ao estudo. Benefícios do ensino superior. Fundação Francisco Manuel dos Santos.

Garcês, S. & Pocinho, M. (2018). Criatividade e educação: Um “bicho de 7 cabeças? In M. Pocinho & S. Garcês (Orgs.), Psicologia da Criatividade (pp. 88-102). Universidade da Madeira.

Garcês, S., Pocinho, M., Neves de Jesus, S., Viseu, J., Imaginário, S. & Muglia Wechsler, S.(2015). Estudo de validação da escala de personalidade criativa. Revista Iberoamericana de Diagnóstico y Evaluación – e Avaliação Psicológica, 2(40), 17-24.

Gilbert, E. (2016). A grande magia: Descubra a criatividade e viva em pleno. Penguin Random House.

Habib, S. & Patwardhan, P. (2020). Training to lead in an era of change: Insights from ad agency leaders. Journal of Advertising Education, 24(1), 36-5.

Laranjeiro, A., Suleman, F. & Botelho, M. (2020). A empregabilidade dos graduados. Competências procuradas nos anúncios de emprego. Sociologia, Problemas e Práticas, 93, 49-69.

Lemos, A., Gomes, F. & Gouveia, L. (2018). Variáveis sociodemográficas na criatividade. In M. Pocinho & S. Garcês (Orgs.), Psicologia da criatividade (pp. 63-87). Universidade da Madeira.

Lindstrom, M. (2009). Buyology: A ciência do neuromarketing. Gestãoplus Edições.

Llorente y Cuenca. (2021). Criatividade transformadora para negócios. https://ideaspt.llorenteycuenca.com/2021/09/29/criatividade-transformadora-para-os-negocios/

Kleon, A. (2013). Roube como um artista: 10 dicas sobre criatividade. Rocco Digital.

Marques, P. (2016). A criatividade como competência essencial no desenvolvimento progressivo do aluno em Artes Visuais [Tese de Mestrado não publicada]. Universidade de Lisboa.

Martins, D., Gonçalves, J. P., Rodrigues, P., Vieira, R. & Marques, V. (2012). A importância da criatividade no desenvolvimento do indivíduo. Revista Portuguesa de Educação Artística, 2, 107-118.

Mateus, S. (2020). Retórica afetiva. Subsídios para a compreensão da natureza do pathos. Sopcom.

Melão, D. (2020). Criatividade e leitura: (Des)construções e itinerários da profissionalidade. In H. Ramalho, A. P. Cardoso, C. Lacerda, J. Rocha & M. Figueiredo (Eds.), Aprender é coisa séria: Contributos para a construção do saber escolar I (pp. 74-80). Escola Superior de Educação.

Mesquita, F. & Utz, M. (2021). Consumo, ambiente e publicidade: Uma reflexão sustentada na complexidade do tempo. Comunicação Pública, 16(30), 1-15.

Michelotto, C. (2018). A criatividade como recurso à transposição didática interna: Fatores inibidores no ambiente escolar [Tese de Mestrado não publicada]. Universidade Fernando Pessoa.

Miranda, R. (2002). A voz das empresas: Uma viagem ao mundo da publicidade escrita por um criativo. Porto Editora.

Morais, M., Azevedo, I., Fleith, D. de S., Alencar, E. M. L. S. de, Almeida, L. S. & Araújo, A. M. (2017). Teaching practices for creativity at university: A study in Portugal and Brazil. Paidéia, 27(67), 56-64.

Morais, M. & Almeida, L. (2015). Perceções de obstáculos à criatividade em universitários de diferentes áreas curriculares e níveis de graduação. Revista de Estudios e Investigación en Psicología y Educación, 2(2), 54-61.

Morais, M. & Almeida, L. (2016). Perceções sobre criatividade: Estudo com estudantes do ensino superior. Revista Portuguesa de Educação, 29(2), 141-162.

Morais, M. & Almeida, L. (2019). “I would be more creative if...”: Are there perceived barriers to college students’ creative expression according to gender? Estudos de Psicologia, 36, 1-9.

Mouzon, C. (2014). A criatividade na educação: Enquadramento curricular e estratégias de facilitação na educação pré-escolar e 1.º ciclo do ensino básico [Tese de Mestrado não publicada]. Universidade dos Açores.

Neves-Pereira, M. & Alencar, E. (2018). A educação no século XXI e o seu papel na promoção da criatividade. Revista Psicologia e Educação On-line, 1(1), 1-10. http://psicologiaeeducacao.ubi.pt/Files/Other/Artigos%20OnLine/2018/V1N1%20online/1.%20V1N1online2018.pdf

Nobre, A (2011). Práticas e discursos estratégicos – Da norma à transgressão, da rotina à inovação. In A. Palácios & P. Serra (Orgs.), Pragmática: Comunicação publicitária e marketing (pp. 63-83). LabCom Books.

Nunes, E. (2011). A criatividade na escola: As atitudes dos alunos face às metodologias dos professores [Tese de Mestrado não publicada]. Universidade de Lisboa.

Observatório da Comunicação (2020). Pandemia e consumos mediáticos. Observatório da Comunicação.

Ormaechea, S. & Santos, C. (2022). La creatividad publicitaria en los estudios de máster y doctorado de España y Portugal. Análisis comparativo. In S. Domínguez & N. Paulete (Coords.), Docencia y aprendizaje: Competencias, identidad y formación de professorado (pp. 487-509). Tirant Humanidades.

Ortiz, F. (2014). Métodos de criatividade para gerir a comunicação. Comunicação & Inovação, 15(29), 139-155.

Quintela, P. & Ferreira, C. (2018). Indústrias culturais e criativas em Portugal: Um balanço crítico de uma nova ‘agenda’ para as políticas públicas no início deste milénio. Todas as Artes, 1(1), 88-110.

Kopp, R. & Hansen, F. (2020). Estratégias para experiências significativas no ensino de criação publicitária. Comunicação & Educação, 25(1), 42-56.

Ramos, C. & Betancor, A. (2004). Desarrollar la creatividad desde los contextos educativos: Un marco de reflexión sobre la mejora socio-personal. Revista Electrónica Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación, 2(1). https://revistas.uam.es/reice/article/view/5541

Rasquilha, L. (2009). Publicidade: Fundamentos, estratégias, processos criativos, planeamento de meios e outras técnicas de comunicação. Gestãoplus Edições.

Raymond, M. & Negassi, Y. (2015). O quinto compromisso: Desenvolvimento de um sistema de garantia do desempenho educativo em Portugal. Fundação Francisco Manuel dos Santos.

Rebolho, J. (2019). A economia criativa em Portugal: Um estudo para os municípios portugueses [Tese de Mestrado não publicada]. Universidade de Coimbra.

Rodrigues, C. (2015). Criatividade no ensino superior: Fatores facilitadores e inibidores segundo a perspetiva de estudantes ([Tese de Mestrado não publicada)]. Universidade da Beira Interior.

Santos, C. (2021a). A pandemia e a publicidade: Pistas para futuras reflexões. Comunicação Pública, 16(30), 1-17.

Santos, C. (2021b). No trilho da comunicação do século XXI: Tendências e desafios. In J. Pinto (Coord.), Audiovisual e indústrias criativas: presente e futuro, 1, 835-849. McGraw Hill.

Santos, C. (2019). O vestuário enquanto capital simbólico: O processo identitário juvenil. In M. Babo & J. Lozano (Coords.), Modas, modos, maneiras (pp. 197-209). ICNOVA.

Scafura, B. (2020). Assista-me jogar: uma reflexão sobre o impacto da pandemia de covid-19 no consumo e produção de conteúdo em plataformas de live streaming. Comunicando, 9(1), 152-171.

Sharma, R. (2019). O líder sem título. BIS.

Silva, C. (2020). Artes y artesanías: Un encuentro creativo-pedagógico. Creatividad y sociedad, 32, 53-77.

Silva, J., Estanque, E., Mineiro, J., Sebastião, J. & Lopes, J. T. (2019). Antiguidade e poder simbólico na praxe académica. Análise Social, 232(3.º), 438-460.

Souza, P., Pinho, M. J. de, Zwierewicz, M. & Ertzogue, M. H. (2020). El potencial transformador de la transdisciplinariedad y de la creatividad para la educación contemporánea. Creatividad y Sociedad, 32, 28-52.

Summo, V., Stéphani V. & Téllez-Méndez, B-A. (2016). Creatividad: Eje de la educación del siglo XXI. Revista Iberoamericana de Educación Superior, vii(18), 83-98. https://www.ries.universia.unam.mx/index.php/ries/article/view/177

Tschimmel, K. (2011). Processos criativos: A emergência de ideias na perspetiva sistémica da criatividade. ESAD.

Valquaresma, A. (2020). Desafios da contemporaneidade: que percursos para a criatividade? – Exploração compreensiva do papel desenvolvimental da autoeficácia criativa, da compreensão estética e da escolaridade na criatividade [Tese de Doutoramento não publicada]. Universidade do Porto.

Veríssimo, J. (2021). A publicidade e os cânones retóricos: Da estratégia à criatividade. Labcom.

Volli, U. (2003). Semiótica da publicidade: A criação do texto publicitário. Edições 70.

Downloads

Publicado

2022-06-30

Como Citar

Santos, C. (2022). A criatividade no ensino superior: um estudo exploratório sobre as licenciaturas em publicidade . Comunicação Pública, 17(32). https://doi.org/10.34629/cpublica.358

Edição

Secção

DOSSIÊ TEMÁTICO Publicidade: novos formatos, novos conteúdos