Advertising shift

a ética pela mudança

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34629/cpublica.357

Palavras-chave:

ética, publicidade, código de publicidade, goodvertising, ativismo anti-marca

Resumo

Num período marcado por severas mudanças trazidas pela globalização e pelos novos media digitais, ao longo dos últimos 30 anos, são vários os efeitos que observamos no sentido crítico dos consumidores, no modus operandi das organizações e das suas marcas e, consequentemente, na publicidade. Analisando a imagem e reputação deste setor, este artigo visa defender uma indústria publicitária mais auto-crítica e reflexiva sobre o seu papel e  responsabilidades, compreendendo uma comunicação estratégica com conscientes e honestas orientações éticas. Firmado no conceito de ética, o artigo debruça-se sobre o papel e contributo dos profissionais de comunicação e consumidores, tendências observadas no mercado, bem como diferentes críticas às mudanças na indústria, tendo por objetivo compreender que percurso há ainda para percorrer neste shift no mundo das agências.

Biografias Autor

Ana Mendes, Nova FCSH

Licenciada em Design pela Universidade de Aveiro e mestranda em Ciências da Comunicação na Nova FCSH, área de especialização Comunicação Estratégica, com investigação em curso sobre Ética da Publicidade. Diretora criativa numa organização política, tem experiência nacional e internacional em agências.

Ivone Ferreira, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa / Investigadora Integrada no ICNOVA

Doutorada em Ciências da Comunicação, é Professora Auxiliar na área de especialização de Comunicação Estratégica no Departamento de Ciências da Comunicação da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e Investigadora Integrada no ICNOVA

Referências

Argenti, P. (2014). Comunicação empresarial (.6ª ed.). Elsevier.

Bezerra, P. C. (2015). Ensaio de ética e legislação publicitária. Instituto de Cultura e Arte – ICA.

Balonas, S. (2013). A publicidade a favor de causas sociais: Caracterização do fenómeno em Portugal, através da Televisão [Tese de doutoramento não publicada]. Universidade do Minho.

Balonas, S. (2021). Creativity for good: How advertising can impact lives – Case study on binge drinking. In D. Raposo, N. Martins & D. Brandão (Eds.), Advances in human dynamics for the development of contemporary societies. Volume 277. (pp. 54-61). Springer. https://doi.org/10.1007/978-3-030-80415-2_7

Blackwelder, B., Coleman, K., Colunga-Santoyo, S., Harrison, J. & Wozniak, D. (2016). The Volkswagen scandal. University of Richmond: Robins School of Business.

Bragaglia, A. P. (2012). Propaganda, ética e ideologias: A propaganda mente? Atualizando a discussão sobre a enganosidade no apelo emocional e informativo. In C. Perez & E. Trindade, III Pró-Pesq PP – Encontro Nacional de Pesquisadores em Publicidade e Propaganda (pp. 973-985). Editora Schoba.

Cannes Lions. [s.d.]. Consultado a 5 de janeiro de 2022 em https://www.canneslions.com/

Dietrich, G. (2022, 4 de janeiro). Is 2022 the year you (finally) embrace the PESO Model™?. Spinsucks. https://spinsucks.com/communication/pr-pros-must-embrace-the-peso-model/

DL n.º 57/2008, de 26 de março: Práticas comerciais desleais. (2008). Procuradoria-geral da Distrital de Lisboa (PGDL). http://www.pgdlisboa.pt/leis/lei_mostra_articulado.php?nid=1067&tabela=leis

DL n.º 66/2015, de 29 de Abril: Regime jurídico dos jogos e apostas online. (2015). Procuradoria-geral da Distrital de Lisboa (PGDL). https://www.pgdlisboa.pt/leis/lei_mostra_articulado.php?nid=3243&tabela=leis&ficha=1&pagina=1&so_miolo=

Eiró-Gomes, M. (2019). Ética em Comunicação: Meia dezena de notas a partir da obra On Tyranny – twenty lessons from the twentieth century, de Timothy Snyder. In S. P. Sebastião & P. Martins (Eds.), Ética em Comunicação: Reflexões sobre os atributos, os desafios e as práticas (pp. 47-62). ISCSP.

Falkheimer, J. & Heide, M. (2018). Strategic communication: An introduction. Routledge.

Ferreira, I. & Lobo, P. & Pio, M. (2021). Representações de género na publicidade durante a primeira vaga da pandemia de COVID-19 em Portugal. Revista Comunicação Pública, 16(30). https://doi.org/10.4000/cp.12548

Ferreira, I. & Eusébio, L. & Hellin Ortuño, P. & Fernández Rincón, A. R. (2021). Corporate social responsibility and consumer brand advocacy: A reflection in a time of crisis. In S. Balonas, T. Ruão, M.-V. Carillo, Strategic communication in context (pp. 339-351). Universidade do Minho.

Ferreira, I. (2021). Advertising as media genre. In S. Mateus, Media rhetoric: How advertising and digital media influence us (pp. 29-44). Cambridge.

Ferreira, I. & Andrade, J. G. (2017). Quando o desconhecimento gera descontentamento: O caso do Fundo Monetário Internacional. Organicom,14(26), 334-344. https://doi.org/10.11606/issn.2238-2593.organicom.2017.139378

Fidalgo, F. (2005). Retórica mediatizada. Revista de Comunicação & Linguagens, 36, 151-160.

Gil, V. & Romero, F. (2008). Crossumer: Claves para entender al consumidor español de nueva generación. Gestión 2000.

Gonçalves, G. (2013). Ética das relações públicas (1.ª ed.). Edições Minerva.

Havas Group. [s.d.]. Havas’ Meaningful Brands Report 2021 finds we are entering the age of cynicism. https://www.havasgroup.com/press_release/havas-meaningful-brands-report-2021-finds-we-are-entering-the-age-of-cynicism/

Kotler, P. & Kartajava, H. & Setiawan, I. (2011). Marketing 3.0 – Do produto e do consumidor até ao espírito humano. Actual Editora.

Lei n.º 30/2019, de 23 de Abril (2019). Procuradoria-geral da Distrital de Lisboa (PGDL). https://www.pgdlisboa.pt/leis/lei_mostra_articulado.php?nid=2340&tabela=leis&ficha=1&pagina=1&so_miolo=

Melo, A. D. (2008). Publicidade à publicidade: A persuasão hipertransparente. In M. L. Martins & M. Pinto (Orgs.), Comunicação e Cidadania – Actas do 5.º Congresso da Associação Portuguesa de Ciências da Comunicação (pp. 776-786). CECS.

Melo, A. D. (2015a). The paradoxical empowerment of consumer-citizens through advertising. In A. D. Melo, I. Somerville & G. Gonçalves, Organisational and strategic communication research: European perspectives II (pp. 53-66). CECS.

Melo, A. D. (2015b). Participação e sustentabilidade na comunicação estratégica e organizacional. In G. Gonçalves & A. Felippi (Org.), Comunicação, desenvolvimento e sustentabilidade (Vol. II, pp. 77-98). UBI, LabCom.

Melo, A. D. (2018). Advertising as a platform for consumer-citizen participation and citizenship. In A. D. Melo & M. Duque (Eds.), ParticipAD – Participatory advertising: A global perspective with a Latin American focus (pp. 35-50). CECS.

Nike. (2019, 26 de maio). Dream crazy (case study) [Vídeo]. Youtube. https://www.youtube.com/watch?v=A1hDscZfE2w&ab_channel=LLLLITL

Peel-Yates, V. (2021, 23 de julho). Greenwashing: 7 recent stand-out examples. The Sustainable Agency. https://thesustainableagency.com/blog/greenwashing-examples/

P&G. (2018) The Talk – Case Study [Vídeo]. Vimeo. https://vimeo.com/238117055#_=_

Ruão, T. & Silva, S. M. (2019). A expressão da ética e da responsabilidade social na comunicação das organizações. In S. P. Sebastião & P. Martins (Eds.), Ética em Comunicação: Reflexões sobre os atributos, os desafios e as práticas (pp. 47-62). ISCSP.

Rucker, D. (2018, 6 de setembro). Nike – Dream Crazy – A rich opportunity to learn about brand management in the Digital Age. Forbes. https://www.forbes.com/sites/derekrucker/2018/09/06/nike-dream-crazy-a-rich-opportunity-to-learn-about-brand-management-in-the-digital-age/

Sebastião, S. P. (2019). A ética em relações públicas: Dos códigos aos desafios práticos. In S. P. Sebastião & P. Martins (Eds.), Ética em Comunicação: Reflexões sobre os atributos, os desafios e as práticas (pp. 47-62). ISCSP.

Sebastião, S. P. & Neto, C. (2019). Notas finais. In S. P. Sebastião & P. Martins (Eds.), Ética em Comunicação: Reflexões sobre os atributos, os desafios e as práticas (pp. 47-62). ISCSP.

Spínola, S. C. (2019). Comunicação ética e ética na comunicação: Comunicar responsabilidade social empresarial?. In S. P. Sebastião & P. Martins (Eds.), Ética em Comunicação: Reflexões sobre os atributos, os desafios e as práticas (pp. 47-62). ISCSP.

Kolster, T. (2015, 13 de abril). Goodvertising: A book about the world-bettering power of advertising / Entrevistado por John Still. The Guardian. https://www.theguardian.com/media-network/2015/apr/13/goodvertising-thomas-kolster-advertising-twitter

Tomita, I. (2012). Preconceito e propaganda: um relato de experiência. In C. Perez & E. Trindade, III Pró-Pesq PP – Encontro nacional de pesquisadores em publicidade e propaganda, São Paulo, Brasil (pp. 973-985). Editora Schoba.

Williams, E. (2017, 24 de junho). Cannes Lions 2017: The winners. Creative Review, UK. https://www.creativereview.co.uk/cannes-lions-2017-winners/

Downloads

Publicado

2022-06-30

Como Citar

Mendes, A., & Ferreira, I. (2022). Advertising shift: a ética pela mudança. Comunicação Pública, 17(32). https://doi.org/10.34629/cpublica.357

Edição

Secção

DOSSIÊ TEMÁTICO Publicidade: novos formatos, novos conteúdos