Novas formas de atuação profissional e iniciativas emergentes na publicidade brasileira contemporânea

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34629/cpublica.340

Palavras-chave:

publicidade e propaganda, campo publicitário, profissionais, produção, modelos de agência

Resumo

O objetivo deste texto é discutir a redefinição das competências profissionais dos publicitários no contexto brasileiro, entre 2017 e 2021, apontando novas formas de atuação profissional e iniciativas emergentes a partir das indicações de Papel & Caneta. Os conceitos de referência são campo publicitário, práticas de produção e estratégias de publicização. A metodologia é qualitativa, contemplando dados documentais através da técnica de análise documental. Os resultados apontam 122 profissionais e 70 iniciativas da publicidade brasileira que revelam questões transversais e estruturais dos novos formatos e conteúdos. Nos últimos cinco anos no Brasil, emergem modelos de agência e atuação profissional fortemente pautados por aspectos como juventude, mudança social e novos formatos da publicidade.

Biografias Autor

Rômulo Oliveira Tondo, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutorando pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, integrante do grupo de pesquisa Comunicação e Práticas Culturais CNPq. Bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Brasil (CAPES).

Elisa Reinhardt Piedras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Professora da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação e do Programa de Pós-Graduação em Comunicação, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Doutora em Comunicação Social. Coordena o projeto de pesquisa “Rumos da pesquisa em publicidade e propaganda: mapeamento da produção acadêmica”. Coordena o grupo de pesquisa Comunicação e Práticas Culturais CNPq. Orientou mais de dez dissertações e teses na área da publicidade e propaganda. Publicou livros e inúmeros artigos sobre publicidade, estudos de recepção e consumo em periódicos brasileiros da área da comunicação.

Anderson Alves Scherer , Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutorando pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, integrante do grupo de pesquisa Comunicação e Práticas Culturais CNPq.

Rafaela Silva Thomaz, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, integrante do grupo de pesquisa Comunicação e Práticas Culturais CNPq.

Referências

Alves, M. C. D. (2016). Mediações e os dispositivos dos processos criativos da publicidade midiatizada: vestígios e perspectivas [Tese de doutorado em Ciências da Comunicação]. Universidade de São Paulo. https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/27/27153/tde-19092016-163535/publico/MARIACRISTINADIASALVES.pdf

Bauer, M. W. & Gaskell, G. (orgs). (2013). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: Um manual prático. Vozes.

Casaqui, V. (2013). Questões metodológicas para o estudo das vidas narrativizadas: Aplicação às narrativas de empreendedores sociais. Revista Famecos, 20(3), 866-883.

Casaqui, V. (2011, 2 a 6 de setembro). Por uma teoria da publicização: Transformações no processo publicitário. Anais XXXIV Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, Recife, PE, Brasil. http://www.intercom.org.br/papers/nacionais/2011/resumos/R6-1880-1.pdf

Castro, M. (2015, 29 de janeiro). Conheça a Flag, a “plataforma de disrupção criativa” inventada por Roberto Martini. DRAFT. https://www.projetodraft.com/conheca-flag-a-plataforma-de-disrupcao-criativa-inventada-por-roberto-martini/

de Oliveira, D. F. (2015). Cultura e trabalho em agências de publicidade do Brasil: A comunicação e a perspectiva ergológica. Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, XXXVIII, Rio de Janeiro. Anais... INTERCOM.

Engage Responsibly. (2022). Site da organização Engage Responsibly. Consultado a 22 de abril de 2022, em https://engageresponsibly.org

Flagcx. (2021). Site da organização Flagcx. Consultado a 15 de janeiro 2022, em https://www.flag.czx/

Lessa, I. (2017, 18 de maio). Criativos se unem para ajudar refugiados. Meio & Mensagem. https://www.meioemensagem.com.br/home/comunicacao/2017/05/18/criativos-se-unem-para-ajudar-refugiados.html

Moreira, S. V. (2011). Análise documental como método e como técnica. In J. Duarte & A. Barros (Eds.), Métodos e técnicas de pesquisa em comunicação (pp. 269-279). Atlas.

Papel & Caneta. Site da organização Papel & Caneta. Consultado a 15 de janeiro de 2022, em http://www.papelecaneta.org/

Papel & Caneta. (2021, 14 de dezembro). 30 vozes que lutaram para mudar a indústria da comunicação em 2021. https://papelecaneta-org.medium.com/30-vozes-que-lutaram-para-mudar-a-ind%C3%BAstria-da-comunica%C3%A7%C3%A3o-em-2021-7dadba1c90f7

Papel & Caneta. (2020, 8 de dezembro). 30 vozes que lutaram para mudar a indústria da comunicação em 2020. https://papelecaneta-org.medium.com/30-jovens-que-lutaram-para-mudar-a-ind%C3%BAstria-da-comunica%C3%A7%C3%A3o-em-2020-5396be153147

Papel & Caneta. (2019, 10 de dezembro). 30 vozes que lutaram para mudar a indústria da comunicação em 2019. https://papelecaneta-org.medium.com/30-jovens-que-lutaram-para-mudar-a-ind%C3%BAstria-da-comunica%C3%A7%C3%A3o-em-2019-ee0c19c676ba

Papel & Caneta. (2018, 10 de dezembro). 25 jovens que lutaram para mudar a indústria da comunicação em 2018. https://papelecaneta-org.medium.com/25-jovens-que-lutaram-para-mudar-a-ind%C3%BAstria-da-comunica%C3%A7%C3%A3o-em-2018-978d403b2e9d

Papel & Caneta (2018, 7 de junho) Meu melhor defeito. (My Best Flaw). [Arquivo de vídeo]. https://www.youtube.com/watch?v=tSI5-melk9g

Papel & Caneta. (2017, 21 de dezembro). Jovens que lutaram para mudar a indústria da comunicação em 2017. https://papelecaneta-org.medium.com/jovens-brasileiros-que-lutaram-para-mudar-a-ind%C3%BAstria-da-comunica%C3%A7%C3%A3o-em-2017-273e2a48a670

Papel & Caneta. (2015, 26 de agosto). Cinco coisas, FLAGCX. https://papelecaneta-org.medium.com/cinco-coisas-flagcx-5486d0556bde

Petermann, J. (2011). Do sobrevôo ao reconhecimento atento: a institucionalização da criação publicitária, pela perspectiva do Habitus e dos capitais social, cultural e econômico [Tese de doutorado em Comunicação]. Universidade do Vale dos Sinos. http://www.repositorio.jesuita.org.br/handle/UNISINOS/3041

Piedras, E. (2009). Fluxo publictário: Anúncios, produtores e receptores. Sulina.

Sennet, R. (2008). A cultura do novo capitalismo. Record.

Schuch, L. (2020). Home Office: tá bom para todo mundo? Mesmo?: Pesquisa com quem não está em altos cargos de liderança. https://drive.google.com/file/d/10hFdxhiU0IKDV3whTMU1SC_uXfyCwddb/view

Schuch, L. (2019). Transformações na propaganda: Um olhar rizomático sobre a prática publicitária [Dissertação de Mestrado em Comunicação). Universidade Federal de Santa Maria. https://repositorio.ufsm.br/handle/1/20215

Valente, T. B. (2017, 4 a 9 de setembro). O tempo intemporal e o trabalho nas indústrias criativas: o impacto da temporalidade no trabalho em Publicidade e Propaganda. Anais do 40.º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, Curitiba, PR, Brasil. https://portalintercom.org.br/anais/nacional2017/resumos/R12-2944-1.pdf

Wottrich, L. H. (2019) A publicidade em xeque: Práticas de contestação dos anúncios. Sulina.

Downloads

Publicado

2022-06-30

Como Citar

Oliveira Tondo, R., Reinhardt Piedras, E., Alves Scherer , A., & Silva Thomaz, R. . (2022). Novas formas de atuação profissional e iniciativas emergentes na publicidade brasileira contemporânea. Comunicação Pública, 17(32). https://doi.org/10.34629/cpublica.340

Edição

Secção

DOSSIÊ TEMÁTICO Publicidade: novos formatos, novos conteúdos