Teatro cósmico: o estado em movimento do Teatro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34629/rcdmt.vol.1.n.1.pp144-157

Palavras-chave:

Teatro, Estudos de teatro, Arte contemporânea, Estética, Medium

Resumo

O termo “teatro” tem vindo a perder alguma preponderância, optando muitas artistas e também a academia, por nomes como “artes performativas” ou “artes cénicas” ou “artes vivas”. Esta busca de uma maior abrangência com a alteração de nomenclatura segue uma tendência com raízes antigas, mas que hoje se apresenta mais confiante. Ao teatro do início do sec. XX como lugar da confluência de diferentes disciplinas e artes, responde a possibilidade de hoje encontrarmos nas salas de espetáculo objetos que, não só abraçaram essa pluralidade, como se distanciaram de uma essência que os irmanava. Usando vocabulário e pensamento extraído do campo da arte contemporânea, este ensaio procura descrições mais capazes de abarcar a pluralidade de certos espetáculos de teatro e artes performativas, partindo do princípio de que se, por um lado, as categorias são formas obsoletas e conservadoras para deles falar, também são elas que permitem o seu reconhecimento social.

Biografia Autor

José Maria Vieira Mendes, Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa

José Maria Vieira Mendes (n. 1976) é professor auxiliar na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa desde 2021, Departamento de Estudos Germânicos, e investigador no Centro de Estudos de Teatro na mesma Faculdade.

É licenciado pela Faculdade de Letras (Língua e Literatura Alemã e Portuguesa) e tem um doutoramento em Teoria da Literatura em colaboração com o programa Inter-Arts na Freie Universität, em Berlim. Leciona nas áreas de Teatro, Estudo das Culturas e Arte Contemporânea, entre outros temas.

Publicou vários artigos sobre teatro e arte, promove oficinas, e é convidado a dirigir seminários e participar em conferências. Tem escrito peças de teatro, libretos e escreve ocasionalmente para artistas visuais.

Participou, como dramaturgo, na International Theatre Academy Ruhr, em Bochum (1999), na Residência Internacional de Verão 2000 no Royal Court Theatre em Londres, e no Internationales Forum of the Theatertreffen Festival em Berlim em 2008. Foi escritor convidado na Universidade de Berkeley, na Califórnia, em 2009.

É membro do Teatro Praga, um coletivo teatral português que tem atuado regularmente nas mais prestigiadas instituições culturais contemporâneas em Portugal e em vários festivais e locais noutros países (Itália, Reino Unido, Alemanha, França, Hungria, Eslovénia, Estónia, Dinamarca, Turquia, China, Brasil). Faz também parte da direção artística da Rua das Gaivotas 6, um espaço multidisciplinar em Lisboa para jovens artistas emergentes. 

As suas peças foram publicadas em Portugal e traduzidas para francês, alemão, inglês, italiano, espanhol, sueco, etc. Traduziu também peças de Beckett, Harold Pinter, Heiner Müller, R.W. Fassbinder, Bertolt Brecht, René Pollesch, etc. 

Publicou dois volumes das suas peças, um diário ficional e um ensaio,”Uma coisa não é outra coisa. Sobre Teatro e Literatura” (2016; 2ª edição revista 2022).

Referências

Auslander, Philip. 1997. From Acting to Performance. New York, London: Routledge.

Duplan, Anaïs. 2016. Take This Stallion. New York: Brooklyn Arts Press.

Fuchs, Elinor. 1996. The Death of Character. Perspectives on Theater After Modernism. Bloomington, Indianapolis: Indiana University Press.

Higgins, Dick. 2007. Horizons. [n.p.]: ubu editions.

Krauss, Rosalind.1997. “‘… And Then Turn Away?’ An Essay on James Coleman”. October 81: 5-33. https://doi.org/10.2307/779016.

_________. 2000. “A Voyage on the North Sea”: Art in the Age of the Post-Medium Condition. New York: Thames & Hudson.

_________. 2011. Under Blue Cup. Massachusetts, London: The MIT Press.

Lehmann, Hans-Thies. 1997. “From Logos to Landscape: Text in Contemporary Dramaturgy”, Performance Research 2 (1): 55-60. https://doi.org/10.1080/13528165.1997.10871532.

_________. 2005. Postdramatisches Theater. Frankfurt am Main: Verlag der Autoren.

Russell, Legacy. 2020. Glitsch Feminism: A Manifesto. London, New York: Verso Books.

Stein, Gertrude. 1988. Lectures in America. London: Virago Press.

Downloads

Publicado

2022-07-25

Como Citar

Vieira Mendes, J. M. (2022). Teatro cósmico: o estado em movimento do Teatro. RHINOCERVS: Cinema, Dança, Música, Teatro, 1(1), 144–157. https://doi.org/10.34629/rcdmt.vol.1.n.1.pp144-157

Edição

Secção

Artigos