Do radiodrama ao podcast

Em busca de um referencial teórico para analisar novas peças dramaturgicas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34629/cpublica.50

Palavras-chave:

podcast, rádio, ficção sonora, radiodrama

Resumo

O presente artigo parte da premissa de que, em meio aos principais formatos de podcasts, há espaço para a retomada de ficções sonoras. Identifica que a dramaturgia sonora ainda não está tão disseminada como outros formatos neste momento de estabelecimento de uma nova forma de consumo. Avança, portanto, a partir de um referencial da rádio, fixando um princípio da ficção em áudio, ocorrido há 35 anos, com o projeto “Radio-criatividade” (1981 – 1990), da SSC&B-Lintas, de São Paulo, para discutir as características da dramaturgia atual em meios sonoros, com apoio de diversos teóricos. Como exemplo, analisa as formas e os elementos de uma peça ofertada em podcast, recentemente comentada na grande mídia: a série Sofia (Gimlet Media/Spotify).

Biografias Autor

Daniel Gambaro, Universidade Anhembi Morumbi, Programa de Pós-Graduação em Comunicação

Doutor e mestre pelo Programa de Pós Graduação Meios e Processos Audiovisuais da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da Universidade de São Paulo. Professor do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Anhembi Morumbi, São Paulo, Brasil.

Nivaldo Ferraz, Universidade Cruzeiro do Sul

Doutor pelo Programa de Pós Graduação Meios e Processos Audiovisuais da Escola de Comunicações e Artes (ECA), da Universidade de São Paulo. Mestre em Ciências da Comunicação pelo PPG da ECA, da Universidade de São Paulo. Pesquisador Visitante na Birmingham City University, Inglaterra, entre dez. 2014 e fev. 2015. Professor do curso de Jornalismo da Universidade Cruzeiro do Sul. Ex-coordenador do curso de Jornalismo da Univesidade Anhembi Morumbi, São Paulo. Jornalista, roteirista e diretor de programas de rádio informativo e ficcionais nas emissoras Rádio USP e Rádios Cultura de São Paulo.

Referências

Arnheim, R. (1980 [1933]). Estética radiofónica. Gustavo Gili

Balsebre, A. (2007 [1994]) El lenguage radiofónico (5.ª ed.). Cátedra.

Balsebre, A. (2013). “O rádio está morto... Viva o som!” ou como o rádio pode se transformar em uma nova mídia. Significação, 40(39), 14-23.http://10.11606/issn.2316-7114.sig.2013.59946

Berry, R. (2016). Podcasting: considering the evolution of the medium and its association with the word ‘radio’. The Radio Journal, 14(1), 7-22. http://dx.doi.org/10.1386/rjao.14.1.7_1

Bonini, T. (2020). A “segunda era” do podcasting: reenquadrando o podcasting como um novo meio digital massivo. Radiofonias, 11(1), 13-32. https://periodicos.ufop.br/radiofonias/article/view/4315

Crisell, A. (1994). Understanding radio (2.ª ed.). Nova York: Routledge.

Crook, T. (1999). Radio Drama: Theory and practice. Nova York: Routledge.

Diderot, D. (1979 [1769]). Textos escolhidos (Coleção Os Pensadores). Abril Cultural.

Ferraretto, L. A. (2007). Rádio: o veículo, a história e a técnica (3.ª ed.). Sagra Luzzatto.

Ferraz, N. (2001). Humor no rádio brasileiro: significado psicossocial, formulação humorística e representação do cômico [Dissertação de MestradoUniversidade de São Paulo]. Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo.

Ferraz, N. (2004). A dramatização sonora: formatos, interpretação e sonoplastia. In A. Barbosa Filho, A. Piovesan, & R. Beneton, Rádio: sintonia do futuro. Paulinas.

Gambaro, D (2019). A instituição social do rádio: (Re)agregando as práticas discursivas da indústria no ecossistema midiático. [Tese de Doutorado]. Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo. https://www.teses.usp.br

Goya, D. (2020, 26 de julho) El renascer de la radionovela en tiempos de pandemia. El comercio. Teatro. https://elcomercio.pe/luces/teatro/el-renacer-de-la-radionovela-en-tiempos-de-pandemia-noticia/?ref=ecr

Huhtamäki, H. (1992). The five ways of the radio: paradox-dramaturgical fractions. S.l.: s.n.

Kamps, J. M. (1980 [1969]) Crítica e possibilidades da estereofonia. In G. B. Sperber (Ed.), Introdução à peça radiofônica (pp. 153-159). EPU.

Klippert, W. (1980 [1977]) Elementos da peça radiofônica. In G. B. Sperber (Ed.), Introdução à peça radiofônica, p. 11-110. EPU.

López Vigil, J. I. (2004). Manual urgente para radialistas apaixonados. Paulinas.

Mittell, J. (2015). Complex TV: The poetics of contemporary television storytelling. New York University Press.

McHugh, S. (2016). How podcasting is changing the audio storytelling genre. The Radio Journal, 14(1), 65-82. https://doi.org/10.1386/rjao.14.1.65_1

Ortriwano, G. S. (2001). A informação no rádio: os grupos de poder e a determinação de conteúdo (4.ª ed.). Summus.

Ortriwano, G. S. (2003). Radiojornalismo no Brasil: fragmentos de história. Revista USP, 56, 66-85. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i56p66-85

Pongs, H. (1980 [1930]). Cinema e rádio. In G. B. Sperber (Org), Introdução à peça radiofônica (p. 113-115). EPU.

Sanchez, L. (2020, 29 de julho). Séries em ficção em áudio revivem a era das radionovelas agora no streaming. Folha de S.Paulo. Ilustrada. https://folha.com/8m2tlxfk

Silva, S. P. & Santos, R. S. (2020) O que faz sucesso em podcast? Uma análise comparativa entre podcasts no Brasil e nos Estados Unidos em 2019. Radiofonias, 11(01), 49-77. https://periodicos.ufop.br/radiofonias/article/view/4317

Souza, J., Fort, M. C. & Bolfe, J. S. (2020). Produção Audiofônica: uma análise de estilos frequentes na podosfera brasileira. Radiofonias, 11(1), 78-111. https://periodicos.ufop.br/radiofonias/article/view/4324/3401

Souza, J. (2020, 23 de julho). Radionovela: iniciativas digitais revivem formato que foi sucesso no rádio. Culturadoria. https://culturadoria.com.br/radionovela-o-retorno/

Vicente, E. (2015). Radiodrama em São Paulo: política, estética e marcas autorais no cenário radiofônico paulistano [Tese de Livre Docência]. Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo https://www.teses.usp.br/

Vicente, E. (2018). Do rádio ao podcast: As novas práticas de produção e consumo de áudio. XXVII Encontro da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação. http://www.compos.org.br/menu_anais.php?idEncontro=Mjc=.

Wickert, E. (1980 [1954]). O palco interior. In G. B. Sperber (Ed.), Introdução à peça radiofônica (pp. 125-131). EPU.

Yuge, C. (2020, 6 de agosto) Radionovela de Sandman alcança 1.º lugar de mais vendidos do New York Times. Canaltech. https://canaltech.com.br/musica/radionovela-de-sandman-alcanca-1o-lugar-de-mais-vendidos-do-new-york-times-169522/

Downloads

Publicado

2021-12-15

Como Citar

Gambaro, D., & Ferraz, N. (2021). Do radiodrama ao podcast: Em busca de um referencial teórico para analisar novas peças dramaturgicas. Comunicação Pública, 16(31). https://doi.org/10.34629/cpublica.50

Edição

Secção

DOSSIÊ TEMÁTICO: Os novos territórios do podcast