Centeno, M. J. (Coord.) (2019). Museu da Paisagem: narrativas e experiência do lugar.

Escola Superior de Comunicação Social, Instituto Politécnico de Lisboa. https://museudapaisagem.pt/public/media/Museu-da-Paisagem-Narrativas-Experie%CC%82ncia-do-Lugar.pdf 131 pp. ISBN 978-972-97218-3-0

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34629/cpublica.228

Palavras-chave:

paisagem, mediação, plataforma museológica digital

Resumo

Este livro suscita-nos, desde logo, a interrogação sobre o aparente oxímoro que constitui o seu título: como é que um museu – que é por definição um espaço fechado, interior, limitado – o pode ser da paisagem - que é de sua natureza aberta, exterior e mais ou menos ilimitada? Ao que acresce uma outra razão para esta aparente antinomia entre museu e paisagem: o museu tem a ver com a história, com o tempo, com o passado - mesmo quando nele se figura um presente, ele é figurado como já tendo sido; a paisagem tem a ver com a geografia, o espaço, o presente - mesmo quando ela tem um passado, e tem-no sempre, o que nós vemos nela é sempre o presente. 

Biografia Autor

Joaquim Paulo Serra, (Universidade da Beira Interior

J. Paulo Serra has a graduation in Philosophy, and a master’s degree and a PhD in Communication Sciences. He is Full Professor at the Department of Communication Sciences of University of Beira Interior (UBI), Portugal, and researcher in the unit Labcom.IFP – Communication, Philosophy and Humanities. He is currently, at UBI, the president of the Research Coordinating Institute, and scientific coordinator of Labcom.IFP; at a national level, he is the Chairman of the Portuguese Association of Communication Sciences (Sopcom). He authored the books Information as Utopia (1998), Information and Sense (2003), and Communication Theory Handbook (2008), co-authored the book Information and Persuasion on the Web (2009), edited the book Rhetoric and Politics (2015), and co-edited several books, the last one being Culture, heritage and tourism in the digital society: An Iberian perspective (2018). He has also published several book chapters and articles in journals and collective works, both in Portugal and abroad.

Referências

Adorno, T. W. (1998). Museu Valéry Proust (1953). In Prismas: crítica cultural e sociedade (pp. 173-185). Ática.

Augé. M. (2010). Retour sur les « non-lieux » : les transformations du paysage urbain. Communications, 87, 171-178. DOI: 10.3917/commu.087.0171

Benjamin, W. (1973). The work of art in the age of mechanical reproduction. In H. Arendt (Ed.), Illuminations (pp. 211–244). Fontana Press.

Benjamin, W. (1987). O narrador (1936). In Magia e Técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura (3ª ed., pp. 197-221). Brasiliense.

Blanchot, M. (1971). Le mal du musée (1957). In L’amitié (pp. 52-61). Gallimard.

Hetherington, K. (2014) Museums and the ‘death of experience’: Singularity, interiority and the outside, International Journal of Heritage Studies, 20(1), 72-85, DOI: 10.1080/13527258.2012.710851

Malraux, A. (1951). Le musée imaginaire. In Les Voix du silence (pp. 11-126). La Galerie de la Pléiade.

Serrão, A. V. (2004). Filosofia e paisagem: aproximações a uma categoria estética. Philosophica, 23, 87-102.

Simmel, G. (2009). A filosofia da paisagem (1913). Lusosofia. Universidade da Beira Interior. Disponível em http://www.lusosofia.net

Valéry, P. (1960). Le problème des musées (1923). In Œuvres, Tome II, Pièces sur l’art (pp. 1290-1293). Gallimard.

Downloads

Publicado

2021-12-15

Como Citar

Serra, J. P. (2021). Centeno, M. J. (Coord.) (2019). Museu da Paisagem: narrativas e experiência do lugar. : Escola Superior de Comunicação Social, Instituto Politécnico de Lisboa. https://museudapaisagem.pt/public/media/Museu-da-Paisagem-Narrativas-Experie%CC%82ncia-do-Lugar.pdf 131 pp. ISBN 978-972-97218-3-0. Comunicação Pública, 16(31). https://doi.org/10.34629/cpublica.228