A crónica como género jornalístico e o emergir do subgénero “do quotidiano”

Autores

  • José Ricardo Carvalheiro Universidade da Beira Interior

DOI:

https://doi.org/10.4000/cp.11282

Palavras-chave:

crónica, jornalismo, quotidiano, imprensa, Diário Ilustrado

Resumo

Como género jornalístico pouco codificado, a crónica sofre de várias ambiguidades ligadas aos contextos históricos e culturais em que foi sendo praticada e que, no caso português, se manifestam na falta de consenso que subsiste dentro do campo profissional. Neste artigo, procuramos situar a crónica dentro da(s) cultura(s) jornalística(s) e dar-lhe algum enquadramento histórico, focando-nos especificamente no que consideramos um subgénero formado durante o século XX, a crónica “do quotidiano”, da qual examinamos, no Diário Ilustrado de 1956, uma manifestação particular do seu processo de formação em Portugal. Antes disso, a primeira parte do artigo recenseia os sentidos que são dados atualmente à crónica e revisita de forma breve as suas origens em Portugal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia Autor

José Ricardo Carvalheiro, Universidade da Beira Interior

Assistant Professor in the Department of Communication, Philosophy and Politics at University of Beira Interior, Portugal. Coordinator of the Journalism Master at UBI and senior researcher at LabCom. Holds a PhD in Communication Sciences, with a background in Sociology. Main interests involve media history, journalism, migration and ethnicity in the media. Has coordinated research projects on the history of media audiences and on the question of public and private in mobile communication.

Universidade da Beira Interior
R. Marquês de Ávila e Bolama
6201-001 Covilhã

Referências

Agnès, Y. (2008). Manuel de journalisme: Écrire pour le journal. Paris: La Découverte.

Bajtín [Bakhtine], M. (2012). El problema de os géneros discursivos. In M. Bajtín, Estética de la creación verbal (pp. 245-290). México: Siglo Veintiuno.

Berger, A. A. (1992). Popular culture genres: Foundations of popular culture (Vol. 2). Newbury Park: Sage.

Cascais, F. (2001). Dicionário de jornalismo. Lisboa: Verbo.

Crato, N. (1992). Comunicação social: A imprensa. Lisboa: Presença.

Correia, F., & Baptista, C. (2007). Jornalistas do ofício à profissão: Mudanças no jornalismo português, 1956-1968. Lisboa: Caminho.

Correia, F., & Baptista, C. (2009). Memórias vivas do jornalismo. Alfragide: Caminho.

Gradim, A. (2000). Manual de jornalismo. Covilhã: Universidade da Beira Interior.

Grevisse, B. (2014). Écritures journalistiques. Bruxelas: De Boeck.

Neveu, E. (2005). Sociologia do jornalismo. Porto: Porto Editora.

Pais, J. M. (2002). Sociologia da vida quotidiana. Lisboa: ICS.

Público (1998). Livro de estilo. Lisboa: Público.

Ramos, R. (1994). A nação intelectual. In J. Mattoso (Dir.), História de Portugal (Vol. 6, pp. 43-67). Lisboa: Círculo de Leitores.

Reis, C., & Lopes, A. C. (2007). Dicionário de narratologia. Coimbra: Almedina.

Ricardo, D. (1989). Manual do jornalista. Lisboa: O Jornal.

Ringoot, R., & Utard, J.-M. (2009). Les genres journalistiques: Savoirs et savoir-faire. Paris: L’Harmattan.

Rita, A. (2017). Eça de Queirós cronista: Da chronica à crónica. Lisboa: Gradiva.

Rodrigues, E. (2003). Crónica jornalística: Século XIX. Lisboa: Círculo de Leitores.

Rodrigues, E. (1998). Mágico folhetim: Literatura e jornalismo em Portugal. Lisboa: Notícias.

Rodrigues, M. U. (2002). O tempo e o espaço em que vivi. Porto: Campo das Letras.

Schaeffer, J.M. (1989). Qu’est ce que un genre litéraire? Paris: Seuil.

Sobreira, R. (2003). Os jornalistas portugueses, 1933-1974: Uma profissão em construção. Lisboa: Livros Horizonte.

Sousa, J. P. (2005). Elementos de jornalismo impresso. Florianópolis: Letras Contemporâneas.

Vargas, N. A. (1999). Periodismo de opinión: Claves de la retórica periodística. Madrid: Sintesis.

Vieira, J. (2007). Jornalismo contemporâneo. Lisboa: Edeline.

Vivaldi, C. M. (1993). Géneros periodísticos. Madrid: Paraninfo.

Downloads

Publicado

2021-08-06

Como Citar

Carvalheiro, J. R. (2021). A crónica como género jornalístico e o emergir do subgénero “do quotidiano”. Comunicação Pública, 15(29). https://doi.org/10.4000/cp.11282