DOSSIÊ TEMÁTICO Literacia Mediática: estratégias para fortalecer a cidadania e a democracia CALL FOR PAPERS

2022-03-05

Abstract

Nos últimos anos, temos assistido a um ataque violento contra os valores da democracia. O crescimento de populismos e de governos autoritários tem contribuído para um retrocesso democrático. Neste contexto de ameaça à democracia liberal, a cidadania e a participação cívica estão, também, em risco. Urge, por isso, refletir sobre o crescimento destas tendências, mas sobretudo é necessário compreender que num cenário dominado pela comunicação mediática e digital, e pela desinformação, é fundamental desenvolver uma literacia para a cidadania, participação e democracia.

***

Descrição e enquadramento

Nos últimos anos têm sido vários os fenómenos que têm colocado à prova os valores democráticos, ao ponto de hoje podermos falar de um retrocesso das democracias liberais em todo o mundo (V-Dem 2020; Democracy Index, 2019). As transformações políticas que se têm verificado em países como a Hungria, a Turquia ou o Brasil, com a eleição de líderes populistas e a constituição de governos antidemocráticos, são apenas algumas das faces visíveis de um problema maior, que atinge a sua máxima expressão com o aumento do número de autocracias, que é hoje superior ao das democracias, algo que não se verificava desde 2001 (V-Dem, 2020, p. 6).

Os investigadores têm explicado grande parte destas transformações com base na ideia de que os cidadãos deixaram de confiar “no sistema político e nas instituições democráticas” (Belchior, 2015). Essa desconfiança estaria na origem do descontentamento dos cidadãos e na base da sua adesão a políticos populistas, que defendem medidas nacionalistas, protecionistas, mas sobretudo restritivas das liberdades e direitos individuais. 

Os meios de comunicação têm sido usados, neste processo, como os principais canais para transmitir as ideias populistas, mas quando estes não estão disponíveis, são as plataformas digitais os veículos privilegiados para atacar os media tradicionais, veicular desinformação e fomentar a polarização dos discursos. Neste contexto, a questão que se coloca é então a de saber se os cidadãos estão preparados para compreender e avaliar criticamente a diversidade de mensagens às quais são expostos na sociedade contemporânea.

O ritmo acelerado com que as informações circulam, sobretudo no mundo digital, aliado às transformações que se verificaram na produção de conteúdos (Bruns, 2007; Anderson, Bell & Shirky, 2014), vieram reforçar a importância de promover a literacia mediática e digital, enquanto estratégia de desenvolvimento democrático. A compreensão crítica e a participação ativa são assim a base de todas as democracias, na medida em que a ausência destas competências impede determinados setores da sociedade de fazerem escolhas informadas, expondo-os a conteúdos falsos e afetando a natureza e qualidade do debate público.

É neste contexto que entendemos que é necessário consolidar o conhecimento científico sobre o conhecimento e as perceções que os cidadãos têm sobre o processo democrático, a participação cívica e a cidadania. Não se trata simplesmente de analisar o que sabem os públicos, sobre os políticos ou as instituições políticas. Pensar numa literacia para a cidadania e democracia é entrar no campo mais amplo da identificação de um conjunto de competências sem as quais os cidadãos não seriam capazes de agir criticamente, em contexto democrático. Neste sentido, esta chamada de trabalhos pretende recolher contributos teóricos e empíricos que possam ajudar a refletir sobre a importância desta literacia para a cidadania e democracia, e mais concretamente que competências devem ser desenvolvidas e que ferramentas podem ser utilizadas para ajudar a combater o retrocesso democrático. Entre outras, procuram-se obter respostas para as seguintes questões: Como preparar os cidadãos para participarem criticamente no processo democrático? Que tipo de conhecimentos, atitudes e competências são essenciais para o exercício da cidadania na era digital? A quem devem ser dirigidas as ações de literacia mediática? Que estratégias podem ajudar a fomentar o interesse dos jovens pela democracia?

 

Objetivos e enfoques pretendidos

Considerando que a literacia para a cidadania e democracia é o eixo central desta chamada de trabalhos, procuram-se contributos que tenham em conta os seguintes tópicos, embora não tenham de se limitar a eles:

  • Literacia mediática, cidadania e democracia
  • Desinformação e literacia informacional
  • Populismos, polarização e literacia digital
  • Exclusão digital, ensino e literacia mediática
  • Literacia política e participação cívica
  • Políticas públicas e literacia mediática
  • Tecnologia, literacia e cidadania digital

 

DATAS IMPORTANTES

Abertura da chamada de artigos: 1 de março de 2022

Data limite para a submissão de artigos: 7 de julho de 2022

Data limite de envio do parecer de avaliação dos artigos: 15 de outubro de 2022

Entrega das versões finais: 1 de novembro de 2022

Data de publicação do número: 15 de dezembro de 2022

 

Submissão dos artigos:

A submissão de artigo deve ser feita através da plataforma https://journals.ipl.pt/cpublica/index . É necessário que os autores se registem no sistema antes de submeter um artigo; caso já tenha se registado basta aceder ao sistema e iniciar o processo de 5 passos de submissão.

Os artigos devem ser submetidos através do modelo pré-formatado para submissão de artigos à Comunicação Pública. Para mais informações sobre a submissão consultar Informação para Autores e Instruções para Autores.